Jornalismo é publicar aquilo que alguém não quer que se publique. Todo o resto é publicidade.

terça-feira, 30 de maio de 2017

De quem é o DNA da BR 364? Ninguém quer ser o "pai da criança"


Nenhum dos políticos influentes da Frente Popular do Acre que aparece nesta imagem acima, que mostra uma visita às obras da BR 364, se arrisca a ser o “pai da criança” depois que o asfalto se dissolveu e o DNIT condenou a rodovia do bilhão.

Mas entre eles, o silêncio do prefeito de Rio Branco, Marcus Alexandre (PT) é o mais intrigante. O petista que aparece ao lado do governador Tião Viana foi apresentado durante programa eleitoral como o grande engenheiro, capaz de construir uma rodovia de qualidade vencendo todas as adversidades da Amazônia, trata o assunto com desprezo, como se nunca tivesse sido responsável pela obra.

Utilizando a velha tática do Partido dos Trabalhadores, Marcus Alexandre aposta no esquecimento do eleitor. Recebe uma blindagem da Frente Popular do Acre que de uma hora para outra, resolveu fiscalizar o que há décadas não fez: a manutenção da rodovia.

Seria trágico se não fosse cômico, Tião Viana cobra manutenção de uma estrada que nunca foi inaugurada! O governo fracassou na missão de pavimentar apenas 47 km entre Manoel Urbano e Jurupari. Um atestado de incompetência registrado pela estatal de comunicação do Estado.

E contra fatos não existem argumentos. Tião chegou a anunciar a vinda da ex-presidente Dilma para inaugurar a rodovia em 2014, após uma pesada campanha de marketing que dizia: “BR 364 vamos concluir e cuidar”.


Dizem que uma mentira contada muitas vezes se torna verdade, mas essa tática não deu certo. Tião não concluiu e nem cuidou, entregou para o DNIT uma rodovia totalmente condenada, que precisa ser reconstruída em sua totalidade.

O movimento de caminhoneiros e da comunidade que vive no entorno da BR pela aceleração das obras de manutenção seria legitimo, mas tem forte apelo partidário, uma política mesquinha que aposta no quanto pior melhor.

A proposta de fechamento da rodovia acontece na próxima sexta-feira (2) no dia em que o Tribunal Regional Eleitoral vai julgar a prefeita Marilete Vitorino, em Tarauacá.
Marilete venceu as eleições na cidade que era dominada pelo PT e em ato contínuo, desbancou Marcus Alexandre da Associação dos Municípios do Acre.

O DNA DA CORRUPÇÃO
O Ministério Público Federal instaurou 44 inquéritos para averiguar as irregularidades supostamente cometidas na construção da BR 364 como: direcionamento de concorrências públicas, superfaturamento e sobrepreço.

Dentre as ilegalidades apontadas pela perícia, foi descoberto o uso de materiais de baixa qualidade, que não atenderiam a real necessidade das obras na BR-364.  Ainda de acordo com o MPF,  foram pagos R$ 5 milhões em sobrepreço e R$ 2,3 milhões por superfaturamento.

No total, os peritos detectaram um prejuízo de mais de R$ 16 milhões aos cofres públicos. Além de alegar defeitos na obra que teriam sido causados pela falta de cuidados na execução e má qualidade do serviço.


O Ministério Público Federal no Acre (MPF-AC) denunciou, ni dia 14 de outubro de 2016 o atual prefeito de Rio Branco, Marcus Alexandre e Sérgio Nakamura, além de outros servidores do Deracre.

Nenhum comentário: