Jornalismo é publicar aquilo que alguém não quer que se publique. Todo o resto é publicidade.

segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Assessoria de Marcus Alexandre julgou ao invés de esclarecer


A nota distribuída pela assessoria do prefeito Marcus Alexandre, após o mesmo ser citado por suposto desvio nas obras da BR 364, julgou o prefeito de forma sumária. Ao afirmar que “Marcus Alexandre não é réu e não responde a nenhuma ação penal” a assessoria exagerou na dose.

Na ansiedade de defender o único prefeito do PT eleito no país, esqueceu – a propósito ou não – do processo denunciado pelo Ministério Público Estadual, aceito pela Justiça, em que Marcus Alexandre é réu por ter autorizado quando diretor-presidente do Deracre (Departamento de Estradas e Rodagens do Acre), o pagamento dos contratos do governo com a Construmil. A autorização ocorreu quando a prefeitura de Tarauacá pedia a suspenção por a empresa sonegar ISSQN (Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza), principal tributo do município. 

À época do caso, em 2008, a Construmil devia de ISS em torno de R$ 10 milhões. Em valores corrigidos, a prefeitura de Tarauacá deixou de receber mais de R$ 25 milhões em tributos. Por causa desta ação o prefeito chegou a ficar com seus bens bloqueados até o dia 19 de dezembro de 2014 quando, por meio de um agravo de instrumento obteve decisão favorável ao desbloqueio concedida pela desembargadora Regina Ferrari Longuini, da 2º Câmara Cível. 

A Construmil, empresa investigada pela Justiça, também estava com os bens bloqueados para que fosse feito o pagamento das dívidas com Tarauacá. A empreiteira obteve liminar para o desbloqueio por estar em processo de recuperação judicial. Em 2013 ela entrou com pedido de falência junto à Justiça de Goiás. Entre os bens retidos estavam tratores, caminhões e uma pequena usina de asfalto, bens avaliados em R$ 12 milhões. 

Esse processo, em que Marcus Alexandre é réu, segue em ritmo lento e em segredo de Justiça.

Tudo bem que os demais inquéritos ainda não se transformaram, como a nota afirma, em processos, e que o prefeito segue colaborando com a justiça, mas esconder tal fato foi uma precipitação, a assessoria parece ter agido como um Tribunal. 


Uma mentira fica mais poderosa quando tenta esconder verdades. 

Nenhum comentário: