Jornalismo é publicar aquilo que alguém não quer que se publique. Todo o resto é publicidade.

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

As "pedaladas" da Câmara Municipal

Com o tema apagão tomando conta das redes sociais e, após as fortes declarações do chefe da Casa Civil do Estado de Rondônia, Emerson Castro, de que a interrupção de energia no Acre é proposital, trata-se de uma manobra para retirar a sobrecarga dos estados do sul e sudeste, que não podem ficar sem energia, os vereadores de Rio Branco resolveram debater sobre Ciclismo nesta terça-feira (22).

Isso mesmo! Ciclismo.

Dizem até que vão deixar seus veículos alugados em casa para estimular a participação de todos no Dia Mundial Sem Carro comemorado nesta terça-feira. Tomara que nenhum deles que optar em ir de ônibus ao trabalho, tenha problemas com troco quando passar pela roleta. O bicho anda pegando entre cobradores e usuários por causa de 0,10 centavos. Virou até caso de Policia.

Em release enviado à imprensa, os vereadores juram que estão antenados com o Pacto da Mobilidade e que até realizaram seminários e encontros para debater sobre o sistema de transportes coletivos. Fizeram-me sentir um morador da cidade de Curitiba.

Mas voltando ao tema ciclismo, cá pra nós, deixar de realizar uma sessão ordinária para homenagear ciclistas depois de um final de semana com dois apagões na capital é mais uma daquelas ações que nos envergonham como eleitor.

Nada contra os amantes das pedaladas saudáveis, mais tal proposta é uma falta de respeito com o consumidor que perdeu sua produção, que teve aparelhos eletrônicos queimados, enfim, com quem paga altas taxas de impostos e tem a pior energia do país.

Saudável seria a Mesa Diretora da Câmara Municipal de Rio Branco aprovar um requerimento exigindo do representante da Eletrobras no Acre, explicações sobre os fatos. 

Tudo bem, quer fazer algo que chame realmente atenção? Convoquem os ciclistas, montem em bicicletas para fazer um panelaço em frente ao prédio da Eletrobras!

Os que não encaram esse desafio têm medo de perder os cargos no município e até no governo do Estado. É mais fácil ficar dentro do ar-condicionado com o jogo de palavras e apertos de mãos combinados para os holofotes da mídia e saírem rindo no dia seguinte em nome do “modelo sustentável”.

Será que essa ideia foi transferida de algum desses seminários que os vereadores participam pelo litoral brasileiro? Agora transferência de tecnologia virou moda. Eu não duvido nada.  

Essa não é a primeira vez que os vereadores legislam apaixonados por algum segmento automobilístico ou esportivo. Quem não se lembra da criação do Dia do Fusca? 

Nenhum comentário: