Jornalismo é publicar aquilo que alguém não quer que se publique. Todo o resto é publicidade.

segunda-feira, 5 de maio de 2014

Qual resultado da Copa do Mundo será capaz de influenciar o humor do eleitor?


Finalmente vou poder fazer com mais pontualidade aquilo que mais gosto: escrever. Compartilhar um pouco da minha vontade de ser um escritor para qualquer um que esteja a fim de viajar um pouco dentro do meu pensamento, compartilhando ou não minha opinião, gostando ou não das minhas histórias e ideias.

A proposta irrecusável de meu chefe me deu mais liberdade durante a semana. Embora ela ainda seja cheia de compromissos, mas um deles será este encontro com os 97 seguidores deste blog e centenas de outros que me proporcionaram mais de cem mil acessos, mesmo eu estando, muitas vezes, tão ausente.

Bem, amanhã sai à lista oficial dos convocados para a seleção brasileira, momento em que os olhos do mundo inteiro estarão voltados para a telinha à espera ou não de surpresas na convocação de Luiz Felipe Scolari. Para muitos, a Copa do Mundo começará nesta quarta-feira. Entre esses ansiosos estão os milhares de brasileiros que saíram às ruas pedindo melhor educação, mais saúde, transporte público de qualidade e outras manifestações. Esse gigante que eclodiu o país ano passado e que parece estar adormecido como um vulcão.

Que tamanho será a insatisfação popular?

Acredito que do tamanho da atuação do time comandado por Felipão. Não tenho dúvida de que uma derrota na fase de grupos ou antes das oitavas, reascenderá a questão custo/benefício e os investimentos que não foram para a educação.

Por exemplo, esse ano o governo federal negou recursos para a compra de um planetário móvel para um evento que reúne 775 mil alunos (leia revista Veja), levando a organização Olimpíada Brasileira de Astronomia fazer uma “vaquinha” pela internet para adquirir o aparelho. São fatos como esses que devem acordar o gigante povo brasileiro.

Mas, se a seleção comandada por Neymar e companhia chegar a final e conquistar o hexa campeonato, alguém duvida que uma onda de otimismo invada o sentimento do mais jovem ao mais velhinho habitante do Brasil?

Os dois cenários têm capacidades de influenciar o humor do eleitor, isso é verdade, mas há quem diga que do campo para dentro depende dos jogadores e, que do campo para fora, tudo depende dos candidatos.

Você o que pensa sobre isso?

Nenhum comentário: